sábado, 15 de agosto de 2009

Uma semana marcada por muuuuitas intercorrências - Parte IV

Quarta-feira, 12 de agosto. Um pouquinho mais de 20 pra meia noite Lucca acorda assustado, angoniado, e chama por mim chorando: "mamãe, mamãe.... Eu... Eu não consigo......... Eu não consigo....Eu...........................................". Foi a última palavra que ele falou antes daquela horrorosa parada respiratória. Eram exatamente 23h46 quando vi o Lucca desfalecido nos meus braços sobre a cama, e li o código 'APNÉIA' no monitor de controle de seus sinais vitais.

Parecia um pesadelo! Como assim????? Nem sei descrever a dor e o medo que eu senti. Segurei firme na mãozinha dele e tive de me esticar toda pra alcançar o telefone, há uns 2 metros, a fim de acionar a teclinha que chama as enfermeiras de plantão..... Continuei tentando chamá-lo de volta, segurando em seu bracinho, tentando controlar sua pulsação. Passaram-se 7 minutos! Sete loongos minutos até que não consegui mais sentir o pulso do Lucca. E ninguém ainda havia chegado pra acudi-lo....

Não tinha outra alternativa. Deixei-o sozinho sobre a cama e saí no corredor. Um grito curto, não muito estridente mas firme e decidido, traduzia minha angústia daquele momento: "O LUCCA ESTÁ EM APNÉIA HÁ SEEEETE MINUTOS!!!!!!!!".

A técnica de enfermagem que o assistia naquele dia foi a primeira a entrar. Continuei insistindo nas teclas próprias do telefone para disparar o bip que informa às enfermeiras sobre aquela emergência....

Não vou conseguir descrever muito do que se passou depois. Olhar o monitor e ver aquelas linhas gráficas em formato de sobe-e-desce converterem-se em uma linha reta sonorizada por um bip ensurdecedor.... nossa! Que foi aquilo?!?!?! Eu estava vivendo na pele aquelas cenas horríveis e dolorosas que tanto nos comovem quando assistimos séries de TV do tipo ER (Plantão Mèdico)...

Ver o Lucca sem frequência cardíaca e respiratória sobre aquele leito... Ver o médico e toda a equipe de enfermagem medicando e cuidando dos exercícios de massagem cardíaca pra tentar reanimá-lo.... Aquela agitação...... O quarto era tensão pura! Altíssima tensão..... Era dificílimo assistir àquilo sabendo que eu não podia fazer nada.... Que eu precisava esperar. Rezar e esperar. Rezar muito e confiar. E esperar. E segurar as pontas. Eu não queria sair dali de jeito nenhum. Eu não podia sequer passar mal. Um minuto ali podia ser fatídico......

Procurei então me manter o mais quieta possível. Tinha medo até de fazer barulho ao chorar. Não queria atrapalhar a equipe, sequer desviar a atenção deles por nem um segundo. Só fiz me escorar num cantinho, em desespero absoluto, chorando sem som... morrendo por dentro a cada minuto que se passava e Lucca não voltava... Me desesperando absurdamente quando vi passar mais de 30 minutos..... Eu sabia de protocolos de UTI que costumam deixar o intensivista aberto a entender que é momento de parar depois de 30 minutos de tentativas de reanimação sem sucesso.

Minha vontade era só dizer que eles conrinuassem tentando. E, GRAÇAS A DEUS, foi o que aconteceu. Dr Hélio continuou a luta pra trazer o Lucca de volta. Fez de tudo e de tudo mesmo. Chegou a subir na sua cama e ficar sobre ele pra melhor massageá-lo e estimular sua reanimação. Lançou mão do desfibrilador.... Primeiro choque... O segundo.... terceiro, quarto...... Até o sétimo.... quando então o monitor começou a se estabilizar. Voltou a marcar frequencia cardiaca e respiratória do Lucca.

43 minutos depois, Lucca estava de volta!

3 comentários:

Priscila disse...

Lu,
Estava muito preocupada sem notícias do Lucca...
Agora lendo o blog, fiquei desesperada!!!!!!
Mais um susto e numa etapa vencida!!!!!
Parabéns pela sua força, garra e determinação!!!!
Você não está sozinha!!!!
Estamos rezando muitoooooooooooo!!!!!!
Um grande beijo e fiquem com Deus,
Pri

KARLA SARQUIS disse...

LU MINHA QUERIDA

Eu não passo um minuto sequer sem estar com o pensamento voltado pra vocês. Estou aqui a postos para QUALQUER coisa que você precisar e que eu puder fazer, neste momento que a agente se sente tão impotente e pequeno...
Lance mão de todos os recursos, inclusive do amor que seus amigos têm por você. Sem cerimônia.

karla

Andrea disse...

Lu!!!
Que desespero amiga.... que momento.... estamos com vc ta.... SEMPRE.... ligue a qualquer momento que quiser ou precisar....
bjs... rezamos muito por voces..
bj