terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

5 horas....

Agora só faltam cinco horas. Cinco horas de uma contagem regressiva que, de alguns anos prá cá, tomei pra mim que deveria começar lá atrás, às vezes duas ou três semanas antes. Um mês quem sabe?.... tudo pra celebrar de verdade.

Cinco horas, enfim, pra virar o relógio da minha vida, terminar um ciclo, dar início a um novo que sempre pretendo e rezo pra que seja melhor.... menos de cinco horas já a essa altura pra chegar 12/2, dia de aniversario, meu aniversário! Dia que curto tanto comemorar!!

Quem me conhece um pouquinho, já se acostumou a me ouvir anunciando a data aos quatro ventos um tempão antes. Chamando atenção, fazendo graça. O meio é o que menos importa: pode ser telefone, email, SMS, um oi pelas Redes Sociais, ou um simples 'lembrar' pra aqueles que estão mais longe. E, acreditem, nada disso tem a ver com qualquer desejo intrínseco de ser o centro de qualquer atenção. Não mesmo. Na verdade, eis a confissão: nada mais é que uma espécie de apelo mesmo, um grito quietinho, de quem aprendeu que poucas coisas nessa vida valem mais do que carinho e gestos de amizade. Um pedido de coração de querer manter por perto gente do bem, energia boa, gente que me quer bem e que me alegra ou me emociona cada um a sua maneira.

E sabe por quê?
Dentro de muito em breve, esse tal número cinco com que comecei esse post ganha uma dimensão de anos ao invés de horas.... Logo ali, em março, marco cinco anos desde que dei um dos passos mais importantes e mais difíceis na minha vida. Esperança era tudo que eu mais tinha quando entrei naquele Einstein... Esperança somada a uma força interior que, na boa, não era minha. Força que me segurou em pé antes e naquele dia 19/3 quando começou o procedimento de transplante de medula ossea no meu Cucca, e em todos que vieram depois até exatos cinco meses depois, em 19/8, quando ele ganhou suas asas de anjinho e foi lá brincar de pescar estrelas.... Força que me manteve viva quando simplesmente me faltou o chão, os cinco sentidos, o prumo até. Força que -- e foi isso que aprendi! -- veio justamente dessas mesmas pessoas do bem a quem me referi antes, de amigos muito especiais e queridos. 

Fazer essa festa toda e esperar uma lembrança qualquer de quem eu tanto gosto no dia 12/2 funciona pra mim como espécie de ícone. Uma forma de recarregar as baterias, renovar a energia, pra seguir acreditando que nada nessa vida é por acaso. Mais que isso, é minha forma de agradecer a todos que me ensinaram não apenas que é preciso continuar adiante mas sim, como fazer isso. Agradecer de verdade àqueles que me inspiram a ser melhor dia após dia.

Meus filhos, meus pais, minhas irmãs, Ro (meu marido-amigo-companheiro-de-todas-as-horas-mesmo!), nossas famílias inteiras, amigos super queridos, desde os que estão pertinho até aqueles que não falo ou encontro pessoalmente há um tempão. Eu definitivamente não acertaria muito se decidisse elencar aqui os nomes de todas as pessoas especiais que mudaram minha vida, simplesmente porque a lista se alongaria pra caramba. 

Nesse dia em que a tendência natural é fazer um wrap up da própria vida, quero mais é continuar fazendo graça, fazendo festa, pedindo essa atenção brincalhona. Quero inspirar meus filhos. Guardar cada frame de lembrança do Lucca enquanto renasço vendo os outros dois crescendo. Quero agradecer. Pelas coisas boas, pelas lições vividas e esperar as que hão por vir. 

 

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Good reason to come back here....

E então, voltando de uma semana intensa de trabalho em NY, quando o cansaço vence até o sono. Decido zapear os canais de filme no avião. Depois de Runner Runner (super recomendo!), de In a World... (blah!), paro, sei lá por quê, em About Time.

A sinopse -- um garoto que, aos 21 anos, descobre ser de uma linhagem de homens capazes de voltar no tempo -- é verdade que não animava muito. Ao contrário: antecipava bem o teor carregado de açúcar numa comédia dessas de botequim, um tanto longe de parecer um épico do cinema moderno.

Fui adiante mesmo assim e a experiência, confesso, me rendeu umas risadinhas despretensiosas. O que eu não esperava de verdade era me pegar repensando experiências próprias, não naquele contexto. No filme, voltar no tempo permitia ao personagem principal corrigir as coisas erradas que ele tivesse feito, evitar coisas chatas e perdas irreparáveis na vida. Mas isso tinha seu preço.

As cenas finais me fizeram pensar em como essa seria uma decisão difícil pra mim.... Voltar no tempo e evitar que meu filho nascesse com a alteração genética  que lhe deu asas de anjo tão cedo significaria mudar o curso da minha vida, nunca ter aberto um buraco que não fecha, uma ferida que permanece tão dolorida pra mim.... mas significaria também ter um filho diferente em seu lugar, que não o Lucca.

Hoje sei que sou absolutamente incompetente pra descrever em palavras a dor que me ficou por não poder mais abracar meu filhote mais velho, sentir seu toque, coloca-lo no colo e enche-lo de beijos, ve-lo rindo das próprias travessuras... Mas também não consigo me imaginar sem poder te-lo conhecido....
Hoje, muito do que sou, aprendi com ele.....

Cucca, te amo mais que o Universo!

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Tendinite, Tendinopatia e Tendinose

A tendinite, a tendinopatia e a tendinose são três termos que estão do dia a dia do consultório ortopédico e do especialista em medicina esportiva.

O que é a Tendinite?
O nome Tendinite significa inflamação do tendão. Na verdade, o que ocorre na maioria dos casos é uma inflamação ao redor do tendão. Chamados essa inflamação de tenossinovite, pois ela provoca uma inflamação na bainha do tendão, A tendinite é provocada por uma doença, pelo uso excessivo do tendão ou ainda por posição inadequada ao realizar os movimentos. Na inflamação aguda, nos exames de imagem, algumas vezes vemos edema dentro do tendão.

Tendinite no Cotovelo
A tendinite no cotovelo é causada por tensões ou excesso de movimentos realizados com os músculos ou ligamentos do cotovelo.Esse tipo de tendinite é comum em atletas de esportes com raquetes, principalmente quando fazem uso de técnicas inadequadas. Outra causa é o uso em excesso dos músculos do cotovelo em trabalhos repetitivos, como na indústria ou digitação.

O diagnóstico da tendinite do cotovelo é feito através da análise clínica dos sintomas e de exames complementares, como a radiografia. Os exames possibilitam a detecção de inflamações ou alterações nos ligamentos ou músculos, que caracterizam a tendinite.

O tratamento para tendinite no cotovelo é feito através da combinação de medicamentos e fisioterapia. Os medicamentos utilizados são antiinflamatórios e relaxantes musculares, que controlam a inflamação e amenizam os sintomas. As compressas diárias de gelo são importantes aliadas nesse tratamento, em alguns casos pode ser necessária a imobilização do cotovelo. Durante o tratamento é preciso diminuir o ritmo de atividades físicas, e para fortalecer os músculos e ligamentos são recomendadas algumas sessões de fisioterapia.

O que é Tendinopatia?
A tendinopatia significa doença do tendão. O tendão doente surge quando o paciente permanece com uma inflamação crônica na região durante muito tempo. O quadro inicial de dor ou de desconforto no tendão, com o passar do tempo, provoca doença na estrutura do tendão que fica mais fraco e sujeito a uma ruptura com pequeno esforço. No quadro inicial de dor no tendão dizemos que o paciente está com tendinite essa inflamação em geral está ao redor do tendão(tenossinovite) porém, com o passar do tempo todo o tendão fica doente e surge a tendinopatia.

O que é Tendinose?
A tendinose é e certa forma igual a tendinopatia, o termo é usado na descrição dos exames de imagem principalmente da ressonância magnética das articulações. Poderíamos definir tendinose como o aspecto imaginológico da tendinopatia. Quando o radiologista descreve um tendão como tendo tendinose ele quer dizer que esse tendão apresenta características estruturais diferente do tendão sadio. Na ressonância do ombro a tendinose do supraespinal (supraespinhoso) significa que o tendão apresenta-se espessado com áreas de edema e eventualmente pequenas rupturas intra-substanciais, resumidamente o tendão está doente. essa doença do tendão provavelmente foi provocada por uma doença crônica na região.

domingo, 9 de setembro de 2012

Epilepsia – Você sabe o que é?

Hoje, dia 9/9, comemora-se o Dia Nacional de Combate à Epilepsia, doença neurológica crônica ou não, considerada a mais antiga da qual se tem registro. A falta de conhecimento da população sobre esta doença sempre a cercou por mitos, crenças e preconceitos, o que dificulta que seus portadores sejam socialmente incluídos. 
 
Com prevalência de 1 a 2% da população brasileira, a Epilepsia é caracterizada por um “descompasso” elétrico nos circuitos cerebrais. Quando queremos mexer uma parte do corpo, como a mão, por exemplo, enviamos uma ordem para o nosso cérebro, que dispara um impulso nervoso. Até chegar na mão, esse impulso viaja pelas ramificações dos neurônios e passará também por estações em que os impulsos dependem de transporte químico (sinapses) para que a informação chegue enfim aos músculos da mão.

Tudo isso acontece quando resolvemos mexer a mão voluntariamente. Imagine agora um grupo de neurônios que resolve disparar esses mesmos impulsos “sem a nossa autorização”, provocando movimentos involuntários das mãos. É isso que acontece com os epilépticos.

“Podemos dizer que uma pessoa sobre de epilepsia quando já apresentou mais de uma crise epiléptica não provocada por períodos indeterminados, ou seja, pode ser uma vez ao mês, uma vez ao ano, todo dia. Ouvir o histórico do paciente e o relato das pessoas que presenciaram a crise também ajuda a determinar o diagnóstico. Além disso, é preciso certificar-se de que não existe nenhum fator precipitante da crise, seja tóxico, seja provocado por alguma outra doença”, explica o neurologista dr. Adriano Campos Vieira, da Santa Casa de Juiz de Fora.

“A Epilepsia pode levar a repercussões sociais dificultando nas relações interpessoais, na inclusão escolar, na conquista e manutenção de um emprego. Estas dificuldades podem acarretar problemas psicológicos como a estigmatização, além de desajustes emocionais como: transtorno de humor, depressivo, entre outros”, completa o especialista.

Com tratamento medicamentoso adequado a necessidade do paciente, 90% deles conseguem se livrar dos acessos epiléticos. Isso significa poder desenvolver suas atividades cotidianas normalmente com a redução ou controle das crises.

O tratamento para epilepsia é fornecido pelo Ministério da Saúde ou pela Unidade Básica de Saúde. As indústrias de genéricos, também, oferecem opções mais acessíveis para este tipo de tratamento, como é o caso da Sandoz que possui seis das 15 principais moléculas para o tratamento de doenças do Sistema Nervoso Central do mercado. “Além disso, é importante manter o acompanhamento médico regular para controle”, conclui o especialista.

Fonte: Sandoz / InPress

sábado, 8 de setembro de 2012

DOAÇÃO DE ÓRGÃOS: Mais de 80 mil pessoas já se declararam doadores no facebook

No primeiro mês de lançamento da parceria entre o Ministério da Saúde e o Facebook para incentivar a doação de órgãos, mais de 80 mil pessoas se declararam doadores. Lançada no dia 30 de julho, a funcionalidade permite que os usuários da mídia no Brasil - cerca de 40 milhões de pessoas - possam compartilhar esta decisão com amigos e parentes.

O internauta pode adicionar em sua linha do tempo a declaração de que é doador e compartilhar sua história, sobre quando, onde e porque decidiu tomar esta decisão. Assim como outros dados pessoais, o usuário também pode escolher com quem quer compartilhar, configurando em seu controle de privacidades. A informação sobre doação de órgãos poderá aparecer na linha do tempo do usuário e na descrição do perfil.


Para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o número alcançado demonstra o poder das redes sociais de mobilizar pessoas que apoiam a causa. “Esta é mais uma ferramenta que contribuirá para a nossa campanha de incentivo à doação de órgãos. Precisamos fazer com que esta ideia seja multiplicada. No meu perfil, eu já informei, aos amigos e familiares, o meu desejo de ser doador”, conta o ministro.


Desde 2009, o Ministério da Saúde utiliza as redes sociais para se aproximar mais da sociedade, esclarecendo dúvidas, recebendo sugestões e trabalhando para aprimorar o Sistema Único de Saúde (SUS).


Registro - Em 2011, o Brasil bateu recorde ao registrar 2.207 doadores no Sistema Nacional de Órgãos – 63% a mais que em 2008. “Atingimos um patamar importante e, hoje, o Brasil é uma referência. Nosso País possui o maior sistema público de transplantes do mundo. Atualmente, 95% das cirurgias são realizadas pelo SUS, de forma totalmente gratuita à população. Por isso tivemos a iniciativa de criar esta funcionalidade para contribuir com o aumento, cada vez maior, do número de doadores de órgãos”, destaca o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Para expressar no Facebook o desejo de ser um doador de órgãos, basta ir na Linha do Tempo e clicar em “Evento Cotidiano”. Depois é preciso selecionar a opção saúde e bem-estar e clicar em doador de órgãos, selecionando depois as pessoas que terão acesso a essa informação. É importante ressaltar que isso não substitui o caminho legal que a pessoa tem de percorrer, pois é a família que decide se autoriza ou não a doação de órgãos.

Histórico - No dia 30 de abril, o Facebook anunciou a nova ferramenta para residentes dos Estados Unidos e Grã-Bretanha. No evento em que a funcionalidade foi anunciada, os representantes da mídia social destacaram o empenho para encontrar formas de contribuir com a sociedade e, como resultado, houve o crescimento de registros. Entretanto, a iniciativa do governo brasileiro foi pioneira ao buscar e fazer a parceria para mobilizar os usuários em prol da doação de órgãos.