terça-feira, 8 de setembro de 2009

Uma campanha pra se encompridar

Tive a felicidade de passar o último dia 6 de setembro junto com amigos muito queridos. Amigos relativamente novos, é verdade, mas muito muito especiais, daqueles que felizmente ganhei e ou descobri aos montes (agradeço a Deus todo dia por tê-los por perto!) do meio do ano passado prá cá.

Como têm sido os meus dias desde que o Cucca ganhou suas asas de anjinho (já há mais de duas semanas.......), aquele domingo também foi marcado por momentos de tranquilidade e outros de uma saudade sem tamanho, sem cor, sem nada que seja capaz de descrevê-la.

Graças a Deus que essa turma do bem estava comigo. Porque foram eles quem me seguraram firme e me deram colo quando me lembrei de que, há exatos 12 meses, começava, até sem eu saber, uma das maiores campanhas de incentivo à doação de medula óssea que já foi realizada no país. E devo confessar sem falsa modéstia: quando me dei conta dessa dimensão -- isso, tempos depois --, me enchi de orgulho.

Não porque eu me achasse a grande mobilizadora disso, mas porque a dedicação toda foi em prol do Lucca. Sim, ele é o real merecedor de todos os louros pela corrente do bem que se formou a partir do dia 6/9/2008, depois que mandei um email angustiado contando a todos os meus amigos, parentes e conhecidos próximos sobre o diagnóstico de adrenoleucodistrofia do meu filho mais velho, então com 8 anos.

Como muitos já sabem, sou jornalista e executiva de marketing institucional, acredito nas diversas ferramentas de comunicação existentes e na sua capacidade de mobilizar pessoas. Mas, naquela véspera de feriado, isso não era exatamente o que estava na minha cabeça....

O desespero de fato é que falava mais alto. Iniciava-se ali uma verdadeira corrida contra o tempo e escrever aquele email era como traduzir em palavras um grito doloridíssimo que me travava a garganta. Eu queria soprar aquelas palavras o mais longe possível. Na esperança de que eu encontrasse naqueles meus contatos o chão que me faltou quando os exames complementares confirmavam a doença do Lucca.

E esse 'chão' era submeter meu filhote a um transplante de medula óssea. Porque aquela era a única forma -- a única mesmo! -- de tentar salvá-lo da adreno (ler também o post Um grande favor.....).

Aqui não quero entrar no mérito do que aconteceu, muito menos da partida do Lucca -- até porque, de acordo com exames que ele fez dias antes de alçar seu vôo, o transplante cumpriu seu papel: ao que tudo indica, a doença estava interrompida! Mas, disso, falo depois.

Aqui quero ressaltar os milhares de novos cadastros de candidatos a doadores de medula óssea que foram feitos de setembro do ano passado prá cá. Quero relembrar das diversas (alguma enormes) campanhas realizadas por instituições como Ford, Organizações Globo, Rigesa, Accenture, US Embassy, Credit Suisse Bank, Bristol, TAM, e tantas outras, que eu certamente não conseguiria relacioná-las todas aqui. Houve também a mobilização de grupos específicos, como os escoteiros, maçons, seguidores de diferentes religiões e crenças, organizações não-governamentais, muitos dos meus amigos jornalistas e outros colegas de profissão, e de pessoas sublimes -- pais, mães, filhos, primos, amigos, amigos dos amigos, conhecidos dos amigos dos amigos, enfim....... um sem número de gente do bem que se sensibilizou com a causa e decidiu colaborar. Até hoje há um mundaréu de gente que eu não conheço pessoalmente e, mesmo assim, viraram amigos queridos.

Como eu falava naquele meu primeiro email, toda ajuda era bem vinda. Podia até não atender a necessidade do Lucca especificamente (no final das contas, o transplante dele foi feito com células de um cordão umbilical encontrado nos Estados Unidos). O ponto central era que, a cada novo cadastramento, engordaríamos o banco nacional de doadores. Mais do que isso, estaríamos doando esperança!

Já agradeci antes e isso nunca é demais. Nem nunca será suficiente, na verdade. Por isso, agradeço de novo! Gostaria de poder falar pessoalmente com cada um que, ao longos desses 13 meses, escreveu, ligou, rezou, pediu, doou, incentivou, às vezes só pensou no assunto... enfim a todos que se preocuparam de alguma forma com o Lucca e, a seu modo, ajudaram muito -- a ele, a mim (sem o apoio e a energia de vocês eu muito provavelmente não teria conseguido chegar até aqui...), à causa do transplante de medula óssea.

A verdade é que, se eu começar a agradecer aqui, não páro mais. A começar pelos meus pais, minhas irmãs, meus cunhados e principalmente, meus filhos, os três. Eu não seria ninguém sem vocês!

E, dentre os muitos amigos queridos que, de verdade, me carregaram no colo, peço a licença de destacar cinco pessoas muito especiais: Edu Pinter, Dea Bulcão, Mário Rossi, Mário Grieco e Ka Sarquis. O que vocês fizeram pelo Lucca e por mim eu nunca vou ter como retribuir à altura!

Antes de terminar, queria também fazer um pedido, em memória do Cucca: que a gente não páre com a tal corrente do bem que começamos lá atrás. Não tenho nenhuma fórmula pronta, engessada. Nenhum plano de ação estabelecido. Estou super aberta a sugestões de como podemos aumentar os cadastros de doadores de medula, de como podemos aumentar a visibilidade para o tema, de como podemos aumentar a esperança de tantas pessoas que têm no transplante de medula óssea a única alternativa de sobrevida.

Hoje em dia, esse é um dos meus maiores desejos...... E um grande objetivo de vida!

4 comentários:

Ana Sanches disse...

Oi Luciana, e e minha filha estamos no cadastro de TMO, somos doadoras, participamos da campanha para o Robertinho, Anjo e Guerreiro que nos deicxou em fevereiro deste Ano, a mãe dele tem um orkut, perfil Carolina Madeira, ela está sempre engajada na realização de campanhas para aumentar esse número, add ela no orkut e talvez você consiga clarear suas idéias. Bjs Ana e Nathália (a aluna da S.Judas que fez a matéria sobre TMO). Bjs no seu coração

Andrea disse...

Lu
Como e bom ver vc por aqui.....
Imagino a mistura de sentimentos para escrever no blog....
Vamos nos ver esta semana? Bjs com carinho......
Andrea

Andrea disse...

Lu
Como e bom ver vc por aqui.....
Imagino a mistura de sentimentos para escrever no blog....
Vamos nos ver esta semana? Bjs com carinho......
Andrea

KARLA SARQUIS disse...

Queridona

já encharquei a tela do computador....Você, como sempre, nos brinda com um texto recheado de emoções e palavras que nos tocam tão fundo. Tenho certeza que você faria o mesmo por nós. Sinto um amor imenso por vocês, que é o meu maior presente...To feliz em ver que você está postando no blog.

Mil beijos

love