quinta-feira, 7 de maio de 2009

Exame de fezes indica presença de adenovírus mas quadro geral do Lucca melhora a cada dia

Hoje saíu o resultado do exame de fezes do Lucca que foi colhido ontem, indicando presença de adenovírus. Não é a primeira vez que esse resultado vem positivo. Numa outra amostra colhida em 29/4, ele já havia sido detectado.

Os Adenovirus são um grupo de vírus muito frequentes e comuns. Uma boa parte da população apresenta adenovírus ao longo da vida sem maiores complicações. Extremamente resistentes, eles existem sob mais de 40 tipos diferentes e a infecção com um deles não dá imunidade contra os demais. Sua capacidade contagiosa é maior nos primeiros dias da doença leve, mas é frequente a excreção persistente e intermitente do vírus por períodos mais longos, que podem chegar a meses.

As infecções por adenovírus são mais freqüentes em crianças, porém também afetam adultos, principalmente os pais e irmãos mais velhos das crianças, os pediatras e enfermeiros que lidam com elas. Acampamentos e campos de férias são geralmente cenários propícios para disseminação do contágio.

Vários são os efeitos da ação desses virus no organismo humano, como gastroenterites (com vômitos, diarréia, dor abdominal e náuseas), conjuntivite, faringite, pneumonia, hepatite em pacientes imunodeprimidos etc. Muitas das infecções que podem ocorrer são, contudo, assintomáticas ou leves, embora com multiplicação e dispersão do vírus. O local mais frequente da infecção por adenovírus, contudo, são as vias respiratórias superiores. O quadro clínico inclui sintomas de constipação comum (gripe), faringite, amigdalite, febre faringoconjuntival, otite média e queratoconjuntivite, frequentemente associadas a febre. Em lactentes pequenos e imunocomprometidos, pode ocorrer uma infecção disseminada, com risco para a vida do doente.


Contagens sanguíneas e controle dos demais marcadores
4900. Esse é o total de leucócitos por mm3 que Lucca tem hoje no organismo. O número ainda cresceu um pouco mais em relação a ontem, mesmo sem ele ter tomado nova dose de Granulokine. O exame de PCR continua caindo: hoje está em 13,9 mg/L. Como esse é um marcador que indica a presença de infecção do organismo, as baixas diárias são sinais bastante positivos.

Os demais controles, inclusive dos eletrólitos, estão estáveis e dentro da faixa de normalidade, com exceção do marcador de Fósforo, que está em 2,4 mg/dL, seis décimos abaixo do limite mínimo (o valor de referência para Fósforo no sangue é de 3 a 7 mg/dL).

As principais enzimas do fígado, que ficaram todas bastante alteradas especialmente na última segunda-feira, também melhoram a cada dia:
  • TGO: 30 U/L (valor de referência: 15-40 U/L)
  • TGP: 63 U/L (valor de referência: 10-35 U/L)
  • Gama-GT: 332 U/L (valor de referência: 13-25 U/L)
  • Bilirrubina Total: 0,8 mg/dl (valor de referência: 0,1-1,2 mg/dl)

2 comentários:

KARLA SARQUIS disse...

Quer me matar de chorar com a hstória da tia bonitinha de óculos???? Vai ter um bingo para o Itaci e uma amiga ontem me pediu para dar uma ajuda! Olha que bacana...Bom, agora só pra entender??? Todo esse revertério no fígado e nos leucos foi causado por essa coisa de adenovirus??? Qual o próximo passo? Ejá dá para comer uma pizza hut??

Beijão para os 2

karla

Cristiane disse...

Amigaaaa, estou acompanhando e na torcida para chegada da reta final... para a comemoração!
Bj enorme