domingo, 10 de maio de 2009

Quem eu decidi ser.... Feliz Dia das Mães!

Eu passei a semana inteira pensando em como esse Dia das Mães teria um sabor mais doce do que todos os anteriores que tive. Porque NADA, mas nada mesmo é mais importante do que eu poder ver meus três filhos bem, com saúde... Brindar a recuperação do Lucca tem um peso mágico nesse momento. Por outro lado, tem o Marccão e a Lella, que a seu modo, também estão sentindo os duros impactos de tudo que está acontecendo.... Cada um sente e reage à sua maneira....

video


Eu queria dizer tanta coisa, escrever tanta coisa. Mas não podia ser uma mensagem qualquer. Precisava achar as palavras certas.... Na sexta, achei. Meu pai me mostrou esse vídeo que foi criado por uma agência de publicidade para o Disney Channel e concorreu a um importante prêmio no ano passado. Não conheço a equipe que trabalhou nesse projeto mas era como se eles falassem por mim, descrevessem com perfeição tudo que aprendi a sentir...

Quando o choro vem e meu peito aperta, logo penso em tantos outros casos que conheci antes de depois do transplante do Lucca. E no quanto devo e me considero uma pessoa feliz. Porque, por mais dura que seja essa minha jornada, essa luta às vezes insana até, a verdade é que as coisas estão caminhando e, caminhando bem. A trancos e barrancos, sim. Dolorido, sim. Instável até. Mas pra frente.

Ok, eu teria de passar esse domingo especial aqui na Pediatria do Einstein, longe dos meus dois outros filhotes, longe da minha família, de amigos queridos... Mas quantas mães estão aqui hoje nos correndores e quartos da UTI? Quantas ainda sofrem angústias com filhos pequeninhos que estão fazendo quimioterapia há quase 1 ano e meio aguardando pela remissão de uma leucemia? Quantas choram copiosamente pela perda de seus filhos (por doença, por acidente, por assassinat ou por outra fatalidade igualmente doloridíssima)?

Por isso, páro. Recupero o fôlego. Choro mais um pouquinho, e volto a parar. Pra pedir que essas mães encontrem forças pra passar por tudo isso. E principalmente pra agradecer! Afinal, Deus e um sem número de parentes e amigos nunca me deixaram descreditar de que eu poderia chegar até aqui. E que posso ir mais além!

Obrigada por todas as mensagens e telefonemas de carinho que recebi.
Obrigada, mãe, por ser quem você é e ter me ensinado a ser quem eu sou.
Obrigada, Cucca, Marccão e Lellinha por serem meus filhos e me fazerem a mais mais feliz desse universo!

Um comentário:

Mário R. disse...

Só você mesmo, meu anjo......

Lu, eu te disse isso no domingo e vou repetir: você não existe! E tenho um orgulho danado de ser teu amigo, de te ter perto de mim, de merecer sua atenção e seu carinho.

Um beijo super carinhoso,
Tato